Notícias

O calor e os animais de estimação

 

 

O golpe de calor é uma emergência médica muito comum nos nossos animais de companhia durante os dias de Verão, revelando-se um verdadeiro risco de vida para os mesmos.

 

Mas porque é tao perigoso sujeitar os nossos companheiros a elevadas temperaturas?

 

Ao contrário dos humanos, os cães não dissipam o calor através de glândulas sudoríparas espalhadas pelo corpo, mas principalmente através da respiração (e em menor percentagem através das almofadas plantares). No entanto, este processo demonstra ser bem menos eficaz que o nosso, sendo por isso que não toleram as altas temperaturas tão bem como nós.

Desta forma, o animal é capaz de absorver mais calor do que aquele que consegue eliminar, podendo levar a uma falha multi-orgânica e mesmo à morte.

Os principais sinais de alerta para este episódio são:

– Respiração ofegante e aflitiva (arfar constante);

– Hipersalivação;

– Temperatura retal elevada (acima dos 39,5ºC);

– Pele quente e seca;

– Agitação e ansiedade;

– Desorientação e descoordenação motora;

– Mucosas oculares e gengivais congestivas;

Em casos mais avançados, o golpe de calor pode provocar problemas gastro-intestinais, tais como vómitos/diarreia; sinais neurológicos (convulsões); problemas de coagulação, entre outros, visto que vários sistemas poderão ser afetados.

É uma situação de urgência médica, sendo que o animal deverá ser imediatamente socorrido pelo médico veterinário.

 

Como podemos evitar esta situação?

Mantendo os nossos animais num local fresco e abrigado do sol, com acesso a água à descrição, evitando brincar/passear com eles nas horas de maior calor.

Nunca deixar os animais presos em carros, ou locais sem arejamento, mesmo que por curtos períodos de tempo.

 

Como proceder até chegar ao veterinário?

Se notar alguns dos sinais clínicos acima citados, deverá dirigir-se de imediato a um médico veterinário.

No transporte:

– Evitar confinar o animal a uma transportadora/espaço pequeno.

-Ligar o ar condicionado ou abrir as janelas por forma a refrescar o espaço.

– Pulverizar com água fresca o animal, evitando gelo ou grandes quantidades de água gelada, uma vez que promovem a vasoconstrição, o que poderá aumentar ainda mais a temperatura interna do animal e exacerbar os sinais clínicos.

– Fornecer pequenas quantidades de água fresca, se o animal se encontrar consciente.

 

Siga estas recomendações, para que todos em casa possam desfrutar de um ótimo Verão!